Seleção com 11 pizzarias da Pampulha

É difícil eleger qual a melhor pizzaria da região da Pampulha. Na verdade, tivemos que rodar um pouquinho e fomos parar lá perto da esquina com a Cristiano Machado. Mas valeu a pena, e a pizzaria Guarani ganhou de suas concorrentes com méritos.

Se voce está aqui perto e quer pedir uma pizza, ligue lá e verifique se eles entregam na sua casa.

1 – Pizzaria Guarani

Endereço: Avenida Waldomiro Lobo, 1180 – Guarani
Telefone: (31) 3408-0000
Capacidade: 600 pessoas
Horário de Funcionamento: 24h.

2 – Barolio

Avenida Fleming, 240, Ouro Preto
(31) 3646-2577

O Barolio é restaurante italiano lindo e muito gostoso na Avenida Fleming, Bairro Ouro Preto – nós já falamos dele por aqui em outra ocasião. As suas pizzas são caprichadas e bem especiais, com preços de R$ 40 a R$ 59. Destaque para o sabor La Tirolese: molho de tomate, mussarela especial, lombo defumado, coração de alcachofra, cream cheese e orégano.

3 – Pizzaria Jaraguá

Rua General Aranha, 246, Jaraguá
(31) 3491-0441

Frequentada pelo pessoal da aeronáutica, a pizzaria Jaraguá também manda bem no delivery: o preço médio da redonda por lá é de R$ 29 e a taxa de entrega chega a R$ 4, mas fica de graça para endereços mais próximos. Enquanto as usuais frango com catupiry e a moda são a preferência geral, o sabor Excalibur (molho, mussarela, parmesão, catupiry, azeitona, tomate, cebola e manjericão) tem um clube fiel de admiradores.

4 – Pizzaria Bambina

Av. Gen. Olímpio Mourão Filho, 1420, Planalto
(31) 3441-0213

O destaque daqui é a pizza Napolitana, que é feita de uma forma bem especial: logo depois de abrir a massa, o pizzaiolo faz uma camada de molho com tomate, azeitona, orégano, azeite e alho. A calabresa vai por cima disso tudo e depois vem mais uma cada de mussarela, que se derrete cobrindo toda a pizza. Os preços para entrega variam de R$ 25 a R$ 41 e quem pede os tamanhos maiores leva um refrigerante

5 – Beto Pizzas

R Francisco Bicalho, 1636, Caiçara
(31) 3054-3241

O italiano Beto Dalzuffo comanda essa casa no Caíçara que se destaca pela receita tradicional de família. Nós também já falamos mais sobre ela por aqui. Com preços entre R$ 8 e R$ 43, alguns dos destaques aqui são a Italiana, que leva lombinho, catupiry, alho e orégano; e a Beto, de abacaxi com provolone.

6 – La Palma

Rua Professor Jerson Martins, 146, Pampulha
(31) 3441-4455
Pizzaria com diversidade boa de sabores de aguar a boca, como a Mineiríssimo: molho ao sugo, mussarela, carne de sol, cebola roxa, catupiry, e salsa desidratada. Os preços, com a taxa de entrega, ficam entre R$ 50 e R$ 60. É o tipo de local que vale pedir mais de uma vez só para experimentar novos sabores.

7 – Pizza d’Terra

Av. Portugal, 1638, Santa Amélia
(31) 3447-2412

Essa pizzaria da Avenida Portugal entrega na região com preços entre R$ 16,90 e R$ 39,90. O cardápio é bem variado e conta com várias exclusividades, mas uma que merece atenção especial é o sabor que leva o nome da casa: mussarela, provolone, parmesão, salaminho italiano e catupiry.

8 – Pizzaria Burnet

Av. Cel. José Dias Bicalho
(31) 3223-6669

Na nossa pesquisa entre os moradores da Pampulha, a Pizzaria Burnet’s foi uma das mais lembradas. Com muitas unidades espalhadas pela cidade, a da região mantêm o padrão de qualidade e preços das outras lojas – algo como R$ 40, em média. Destaque para a Delicatta, de peito de peru defumado e azeitonas.

9 – Pizzaria Mangabeiras

Rua Miguel Perrella, 180 – Castelo
Av. Deputado Anuar Menhem, 366 – Santa Amélia
(31) 3211-1777

Com dois endereços na Pampulha e diversos outros na cidade, a tradicional Pizzaria Mangabeiras é garantia de uma pizza quentinha e bem servida. Entre os sabores, o mais ‘caprichado’ é o Especial, que vai basicamente quase tudo que cai bem em uma pizza: molho ao sugo, mussarela, presunto, calabresa, lombo, ervilha, frango, pimentão, cebola, palmito, milho, bacon, champignon e azeitona. Os preços vão de R$ 25 a R$ 79.

10 – 68 Pizzaria

Av. Coronel José Dias Bicalho
(31) 3141-7708

A 68 é uma rede de pizzas refinadas que recentemente expandiu para a região da Pampulha – a loja abriu a filial há pouco mais de quatro meses. Os preços começam em R$ 39 e a pizza mais cara, de R$ 112, leva camarões VG.

11 – Pizzaria Tutti Della Pasta

Av. Guarapari – Santa Amélia
(31) 3491-8908

São 69 sabores na Tutti Della Pasta, no Santa Amélia. Tantas opções que o pessoal de lá até se atrapalhou e não soube eleger um favorito para a nossa lista. Os preços vão de R$ 31 a R$ 40.

Parque Municipal de BH

Endereço: Avenida Afonso Pena, 1377
Telefone: (31) 3277-4161
Horário de Funcionamento: 3ª a dom. e feriados das 6h às 18h.

Entrada franca. Somente os brinquedos elétricos é que cobram uma taxa para acesso e diversão.

História do Parque Municipal

Dois meses antes da inauguração da Cidade de Minas, a nova capital do Estado de Minas Gerais inaugurava o seu Parque Municipal, o atual Parque Municipal Américo Renê Giannetti, patrimônio natural em plena área central de Belo Horizonte. O arquiteto e paisagista francês, Paul Villon, sonhava em plantar na cidade o maior parque urbano da América Latina. Em estilo romântico inglês, o parque previa um cassino, um restaurante e um observatório meteorológico. As suas ruas, alamedas, lagoas e seus riachos foram traçados de forma livre pelo arquiteto. A arborização foi introduzida por meio de transplantação de árvores de grande porte, trazidas de diversos locais da cidade e do plantio de mudas produzidas em dois viveiros criados por Paul Villon, às margens do Córrego da Serra. Assim como a capital de Minas, o parque foi inaugurado com as obras incompletas.

Implantado na Chácara Guilherme Vaz de Mello, conhecida como Chácara do Sapo, o parque serviu de moradia para o próprio Paul Villon e para Aarão Reis, engenheiro chefe da Comissão Construtora encarregada de planejar e construir a nova capital de Minas Gerais. Em 1924, o governador do Estado, Olegário Maciel, transferiu a residência oficial do governo para o Parque Municipal, até o final de sua gestão.

O parque possuía, originalmente, uma área de 555 mil metros quadrados, tendo como limites as avenidas Afonso Pena, Mantiqueira, atual Alfredo Balena, Araguaia, atual Francisco Sales, e Tocantins, atual Assis Chateaubriand. A partir de 1905, inicia-se o processo de ocupação urbana na área destinada ao parque para construções diversas como a Faculdade de Medicina, o Centro de Saúde do Estado, a Moradia Estudantil Borges da Costa, o Teatro Francisco Nunes e o Colégio Imaco. Atualmente, de sua área original restam apenas 182 mil metros quadrados.

Em janeiro de 1898, é inaugurado o Velo Club que passa a promover grandes festas esportivas com corridas de bicicleta, velocípede e a pé. No início do século XX, o Parque Municipal e a Praça da Liberdade tornam-se as principais referências da cidade para a realização de eventos. No pavilhão do clube, construído onde hoje está o Teatro Francisco Nunes, o público acompanha os eventos com apostas e torcidas. São realizadas, ainda, partidas de futebol e competições de natação nas lagoas. Em 1908, um grupo de adolescentes funda, no parque, o Clube Atlético Mineiro.

Na década de 20, são instalados o gradil de ferro, o Coreto, a Estação dos Bondes (atual Mercado das Flores), a quadra de tênis e a pista de patinação. Do outro lado da Avenida Afonso Pena, o Bar do Ponto torna-se a principal referência do centro da cidade e, por sua proximidade da Estação de Bondes, tem sua área de influência ampliada para o interior do parque. A região é ponto de encontro de Carlos Drummond de Andrade, Pedro Nava e Emílio Moura. Na década de 30, o parque perde mais uma grande parte de sua área, agora para as construções do Palácio das Artes, Teatro Francisco Nunes, prolongamento da rua Pernambuco (atual Alamenda Ezequiel Dias) e da Cidade Universitária. Nesta área encontram-se hoje, entre outros, a Fundação Hemominas, o Hospital da Previdência e o Hospital Semper. Na década de 40, o movimento modernista invade a cidade.

No Parque Municipal, as grades de ferro são retiradas e uma série de eventos são realizados: piano ao ar livre, jogos de futebol, peteca, tênis e, principalmente, natação e remo. Intelectuais como Fernando Sabino, Paulo Mendes Campos, Otto Lara Resende e Hélio Pelegrino fazem do parque seu ponto de encontro.

Em 1946, após a dissolução do Instituto de Belas Artes, o artista Alberto da Veiga Guignard transfere seu curso para o Parque Municipal. Em 1949, é inaugurado o Teatro Francisco Nunes. Na década de 50, o prefeito Américo Renê Giannetti realiza a primeira grande obra de reforma do parque com tratamento de água, recuperação dos jardins, asfaltamento das alamedas, implantação de uma fonte luminosa e uma “concha acústica” para apresentação de concertos ao ar livre. Nessa época, o parque recebe o nome de Parque Municipal Américo Renê Giannetti, em homenagem ao prefeito, que falece em 1954. Entre os anos 60 e 70, são inaugurados o Orquidário Municipal e o Palácio das Artes, e substituída a iluminação de lâmpadas incandescentes por de mercúrio.

Em 1975, o Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (IEPHA/MG) realiza o tombamento de todo o conjunto paisagístico e arquitetônico do parque por meio do Decreto n°17.086/75 que proíbe novas construções no local. Em 1977, as grades de ferro voltam a contornar o parque. Em 1992, realiza-se a segunda grande obra de reforma do parque com plantio de novas espécies arbóreas, implantação de sistema de irrigação, repavimentação das alamedas, instalação de novos portões de entrada e aparelhos de ginástica, além da construção de uma pista de caminhada com aproximadamente dois mil metros. Em janeiro de 2005, o Parque Municipal Américo Renê Giannetti passa a ser administrado pela Fundação de Parques Municipais (FPM).

Vinculada à Secretaria Municipal de Políticas Urbanas, a FPM foi criada pela Prefeitura de Belo Horizonte com a finalidade de administrar e manter os parques da cidade. Em 2006, foram realizadas obras para adequação desses espaços à acessibilidade universal, reforma das pistas de caminhada e dos banheiros e pintura dos gradis externos e das edificações existentes. Diversos canteiros são revitalizados com plantio de mais de 160 mil mudas, e um projeto de controle de pragas é implantado.

Em 2007, a Fundação de Parques Municipais realiza a transposição das águas da nascente localizada na área da Fundação Hemominas para o parque, e inaugurou, em 9 de julho, a construção da Cascatinha na Lagoa do Quiosque. A mina, que integrava a área do Parque Municipal no projeto original de Aarão Reis, teve sua água canalizada para o Ribeirão Arrudas. Em 2008, foi inaugurada a segunda Cascatinha, no dia 5 de junho. As Cascatinhas complementam o trabalho de transposição das águas da nascente e conduz o volume captado para a Lagoa do Quiosque e dos Marrecos. A água alimenta as três lagoas do parque melhorando a qualidade ambiental desses espaços.

Martins de Paiva Marcas e Patentes

Precisa registrar a marca do seu restaurante, pizzaria ou empresa?

Conheça a Martins de Paiva, uma agência de propriedade intelectual que fornece esse serviço com custos justos, associados à qualidade e responsabilidade.

A Martins de Paiva é dedicada à prestação de serviços de registros de marcas, patentes, registros de direitos autorais, programas de computador, domínios de internet, transferências de tecnologias e franquias, no Brasil e no Exterior.

A Martins de Paiva é sinônimo de competência em assuntos referentes à Propriedade Intelectual. Possui equipe profissional, dentre advogados, Agentes de Propriedade Industrial, Consultores e Técnicos, em constante aprimoramento, para assegurar aos clientes a devida orientação e o adequado acompanhamento dos serviços contratados.

Conheça os detalhes dos nossos serviços no nosso site: www.martinsdepaiva.com.br

Recanto Verde

Quer saborear deliciosos pratos italianos ou mineiros: O Recanto Verde é o local perfeito. Além da qualidade dos pratos, voce encontra diversas promoções, como por exemplo:

  • descontos de até 30% para o aniversariante;
  • 30% de desconto nas segundas feiras para os pratos de massa;
  • 50% de desconto nas terças e quintas após as 16 horas na primeira garrafa de vinho acompanhada de pratos acima de R$ 25,00;
  • segundo drink grátis de segunda a sexta.

(confira no site oficial os detalhes dessas promoções, que podem ser alteradas a qualquer momento)

O Recanto Verde é um dos mais tradicionais restaurantes de massas e de comida mineira da região leste de Belo Horizonte. Com muito carinho, dedicação e respeito, está desde 1979 se empenhando em oferecer os melhores pratos e o melhor atendimento, em um ambiente familiar e aconchegante.

Confira o cardápio completo no site, onde voce poderá visualizar os detalhes, imagens ampliadas e preços dos pratos de maior sucesso, incluindo esses listados abaixo:

cardapio recanto verde 1
Acima: pizzas, traíra sem espinho, peixe a Recanto, mexido;

cardapio recanto verde 2
Acima: Lasanha a bolonhesa ou frango, fritas com bacon e queijo, frango à passarinho, filet com fritas, feijão tropeiro, espaguete na chapa;

cardapio recanto verde 3
Acima: espaguete à bolonhesa ou frango, dobradinha com feijão branco, costela de boi à Recanto, bolinho de bacalhau, bife de lombo acebolado, arroz com bacalhau e alho;

cardapio recanto verde 4
Acima: arroz à Recanto, nhoque à bolonhesa ou frango, carne de sol com mandioca, petit gateau, talharim à bolonhesa ou frango, omeletes;

cardapio restaurante
Acima: pimentão recheado, pão de alho, filet à parmegiana, feijoada completa.