Checklist para análise de forças/fraquezas

As empresas podem avaliar suas forças e fraquezas utilizando um formulário como o apresentado na seção “Checklist para análise de forças/fraquezas”. É evidente que uma empresa não precisa corrigir todas as suas fraquezas, nem deve se vangloriar de todas as suas forças. A grande pergunta é se o negócio deve se limitar às oportunidades para as quais dispõe dos recursos necessários ou se deve examinar aquelas para as quais será necessário adquirir ou desenvolver novas forças.

Continuar lendo Checklist para análise de forças/fraquezas

Como desenvolver proposições de valor que sejam atrativas para o cliente B2B

Para desenvolver proposições de valor atrativas, os profissionais de marketing organizacional (ou B2B) precisam entender melhor como os compradores organizacionais realizam suas avaliações. Pesquisadores que estudaram como os profissionais de marketing organizacional avaliam o valor para o cliente encontraram oito métodos de avaliação do valor para o cliente (AVC). As empresas tendem a aplicar os métodos mais simples, embora os mais complexos produzam uma estimativa mais precisa do valor percebido pelo cliente.

Continuar lendo Como desenvolver proposições de valor que sejam atrativas para o cliente B2B

Renner e sua superação para encantar no novo varejo

A rede de lojas Renner precisava mudar para voltar a encantar as clientes; conheça os bastidores da transição da filosofia de encantamento da loja de departamentos tradicional para o modelo fast retailer. Esse artigo foi publicado em 2017 na revista HSM Management e é de autoria do presidente da Renner, José Galló. Ele é presidente desde 1999 do Grupo Renner, que hoje inclui Lojas Renner, Camicado e YouCom, com receita líquida acumulada de R$ 5,7 bilhões em 2016 e lucro de R$ 625 milhões.

Continuar lendo Renner e sua superação para encantar no novo varejo

Melhore processos administrativos brincando com Lego

Cada vez mais empresas estão experimentando a metodologia Lego Serious Play (LSP) em todo o mundo. Organizações como Coca-Cola, Harvard University e a agência espacial norte-americana, Nasa, já utilizam a ferramenta para resolver seus problemas de maneiras inovadoras e criativas, levando seus colaboradores a pensar fora da caixa – é uma alternativa lúdica ao design thinking e às metodologias ágeis. O Brasil tem poucos facilitadores de LSP certificados, mas também está começando a descobri-lo.

Continuar lendo Melhore processos administrativos brincando com Lego