O valor da fidelidade às marcas

Muitos proclamam que a fidelidade do cliente com uma marca morreu, e algumas estatísticas parecem confirmar isso. As corporações dos Estados Unidos perdem, em média, a metade de seus clientes a cada cinco anos, a metade de seus funcionários a cada quatro e a metade de seus investidores em menos de um. No futuro só existirão as relações “oportunistas”?

Continuar lendo O valor da fidelidade às marcas

Cuidado com o preço

Na ânsia de aumentar, respectivamente, a participação no mercado e as comissões, muitas empresas e vendedores estão criando um clima de negociação de preços com seus clientes que é prejudicial para todos: os clientes acabam ignorando o valor do produto; pensam apenas se esse é o melhor preço que podem conseguir ou, pior, se estão ganhando o jogo. Esse é o problema mais sério dos últimos tempos na área da fixação de preços.

Continuar lendo Cuidado com o preço

O que é identidade da marca?

A nossa primeira resposta poderia ser: aquilo que a marca “diz” aos consumidores – fazendo uma distinção entre o que a marca diz e como público a compreende. A noção de identidade ainda é muito pouco utilizada por gerentes e isso é lamentável porque, em nossa opinião, oferece alguns aspectos juntos e concretos da essência do próprio fenômeno da marca. Continuar lendo O que é identidade da marca?

O “x” da expansão no varejo

Alguns varejistas expandem seus serviços para além do portifolio tradicional. Tudo bem para um supermercado vender livros e cafés, mas e quanto a consertar carros? Por mais absurdo que pareça, muitas empresas varejistas planejam sua expansão fugindo de seu núcleo central. Como mostra estudo Bain & Company, apenas 29% das companhias que fizeram isso obtiveram crescimento lucrativo.

Continuar lendo O “x” da expansão no varejo

A cauda longa do mercado de massa para o mercado de nicho

Uma das características predominantes da cultura norte-americana é a obsessão pelos produtos mais vendidos: os hits. Ao desenvolvê-los, selecioná-los, falar sobre eles e acompanhar sua ascensão e queda, de certo modo somos “consumidos” por eles. No entanto, esses sucessos já não têm a importância econômica que tiveram, devido ao fato de os consumidores não ocuparem mais um lugar fixo no mercado, mas se voltarem para os inúmeros nichos da economia, em um fenômeno que caracteriza o comércio e a cultura de nossa época.

Continuar lendo A cauda longa do mercado de massa para o mercado de nicho

Restaurante Fellini – Gestão com pessoas

Este case descreve o processo de gestão de pessoas do Restaurante Fellini. Um empreendimento familiar com prêmios da área de gestão de pessoas e atendimento ao cliente. Suas principais políticas de gestão de pessoas são apresentadas assim como o impacto na percepção de qualidade do restaurante. Ao final, os desafios são abordados no que diz respeito ao futuro de uma empresa familiar. Continuar lendo Restaurante Fellini – Gestão com pessoas