Adubar sim, mas com inteligência e estratégia

Para muitos agricultores, nas principais regiões produtoras de grãos do País, o investimento contínuo em adubação a cada safra é sinônimo de altas produtividades. A prática também é responsável por altos custos, já que corretivos e adubos representam 30% ou mais dos gastos em sistemas de produção que envolvem as culturas de soja e milho. A boa notícia é que pesquisadores da Embrapa e de outras instituições de pesquisa comprovaram, em experimentos conduzidos em áreas de produção comercial de grãos, que em muitas situações é possível reduzir ou até mesmo deixar de adubar por algumas safras, sem perdas significativas de produtividade.

Continuar lendo Adubar sim, mas com inteligência e estratégia

Brasil ainda importa 75% dos fertilizantes

“Em tal maneira é graciosa que, querendo-a aproveitar, dar-se-á nela tudo”, escreveu Pero Vaz de Caminha, descrevendo a fertilidade da terra que se tornaria o Brasil. Caminha, infelizmente, pouco sabia de agricultura, e o ditado “em se plantando, tudo dá”, que hoje ecoa a impressão do visitante português, não passa de propaganda enganosa. Um olhar mais atento revela que a terra tupiniquim sofre com a falta de componentes essenciais para o desenvolvimento vegetal, e que seria necessário um jeitinho brasileiro para transformar este vasto território em potência agrícola.

Continuar lendo Brasil ainda importa 75% dos fertilizantes

Agronegócio com ciência e arte

Costumamos fazer severa autocrítica pelo fato de o Brasil investir tanto em agronegócio, preferindo commodities a produtos de maior valor agregado, com pouca ciência e pouca arte, certo? Pois o ex-ministro da Agricultura, engenheiro agrônomo e coordenador do GV-Agro, o Centro de Agronegócio da Fundação Getulio Vargas de São Paulo, Roberto Rodrigues, rebateu essa idéia enfaticamente.

Continuar lendo Agronegócio com ciência e arte

Etanol, verdades e mitos

Se você perguntasse mundo afora qual é o maior trunfo científico do Brasil nos dias atuais, possivelmente ouviria “etanol de cana-de-açúcar” como resposta mais freqüente. Mas esse combustível renovável está envolto em tantos e tão acalorados debates que é preciso separar o joio do trigo na hora de analisá-lo.

Continuar lendo Etanol, verdades e mitos

Setor do etanol vê nova chance de superação

Mesmo com perspectivas de continuidade da crise econômica no País, o mercado de etanol espera cenário um pouco mais positivo em 2016. O consumo aquecido no correr de 2015 e os aumentos de preços no acumulado do ano podem representar o início, ainda que de forma gradativa, de uma retomada da rentabilidade do setor, que há alguns anos amarga custos de produção em alta e prejuízos financeiros. Por outro lado, como há expectativa de crescimento no volume produzido, é preciso planejamento ao longo da safra para manter a cadeia sustentável.

Continuar lendo Setor do etanol vê nova chance de superação